Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Logo
Logo
Segunda-Feira, 04 de Dezembro de 2017
POR: Equipe Valle
Policial acusado de matar jovem no Parque de Exposições é absolvido por júri popular
Policia

O policial civil Levy Moura de Sousa foi absolvido após passar por júri popular na manhã desta segunda-feira (04) em Goiânia. Os jurados consideraram que ele agiu em legítima defesa quando atirou no jovem Luan Victor de Oliveira Souza, de 20 anos, no dia 18 de maio de 2013. O crime aconteceu no Parque de Exposição Agropecuária de Goiânia.

Carlos José de Souza, pai de Luan, explicou que a família vai recorrer à decisão, considerada uma injustiça. O pai da vítima acredita que a decisão está relacionada com o fato de o promotor responsável pelo caso ser próximo aos advogados de defesa de Levy. O homem ressalta ainda que deveria ter sido levado em conta o fato de o policial não ser réu primário.

Apesar da decisão, Carlos afirmou que a família não vai desistir. “Nós não vamos medir esforços para mudar a decisão do Tribunal de Justiça. O que houve com o meu filho foi injustiça e eu não vou desistir”, afirmou.

O caso

O crime aconteceu durante o show do cantor sertanejo Lucas Lucco na pecuária de 2013. Levy estava com a namorada e seus dois filhos. Segundo apurado pela Polícia Civil, um  homem teria tentado roubar a máquina fotográfica de sua namorada. Com intenção de render o homem, teve início a confusão.

Ainda de acordo com a corporação, a vítima estava a cerca de 15 metros da confusão e se aproximou por curiosidade, quando foi atingido no peito por um dos dois disparos efetuados por Levy, e saiu correndo. O jovem foi socorrido e levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu e morreu.

No dia 10 de junho do mesmo ano, o Ministério Público de Goiás ofertou denúncia contra o policial. De acordo com o promotor Maurício de Camargo, a motivação do crime foi entendida como fútil, já que Luan não participava da  briga. Outro fato é que o jovem foi surpreendido pelo disparo, sem nenhum tipo de reação de defesa. Levy foi acusado de homicídio duplamente qualificado. Um cinegrafista amador, que não quis se identificar, gravou o momento exato em que Levy atira em Luan.