Sábado, 21 de Outubro de 2017

Logo
Logo
Sábado, 07 de Outubro de 2017
POR: Equipe Valle
Menino de 4 anos é resgatado após subir cerca de 30 metros em torre, em Goiás
Bombeiros

Um menino de 4 anos e o avô dele, cuja idade não foi revelada, foram resgatados de uma torre de telecomunicações no início da tarde desta sexta-feira (6), em Goiatuba, no sul do estado. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a criança escalou a estrutura metálica e parou a uma altura de cerca de 30 metros. O homem subiu para tentar pegá-lo, mas se sentiu mal e não conseguiu descer. Ambos foram retirados sem ferimentos.

 

O caso ocorreu por volta do meio-dia. Segundo o Tenente Vinícius Gratão, especialista em salvamento em altura, a torre, que no total tem cerca de 45 metros, fica instalada no quintal da casa da família.

 

“O avô percebeu que o neto estava lá em cima, mais ou menos a uns 40 metros de altura. Aí chamou o menino, que desceu até a uma altura de 30 metros. Foi quando o homem subiu para tentar resgatar a criança, mas, como tem labirintite, sentiu tontura e não conseguiu mais descer”, contou o bombeiro.

 

A corporação foi acionada e, com a ajuda do capitão Vanderly Alves Soares e do cabo Wesley Francisco Pereira Sales, Gratão conseguiu retirar avô e neto ilesos.

 

“Foi uma ocorrência atípica, pois o menino falava a todo tempo que tinha coragem de pular. Então, era um risco enorme, sem contar que, quanto mais no topo, a torre fica mais estreita e balança bastante. Felizmente deu tudo certo e o avô recebeu atendimento no local”, ressaltou.

 

O bombeiro diz que a família revelou que essa foi a terceira vez que o menino escalou a estrutura. “Das outras vezes ele subiu um pouco menos e conseguiu descer, então, alertamos a eles sobre os perigos e orientamos a procurarem a empresa responsável pela torre para construírem uma proteção melhor para evitar que o menino tenha acesso ao local”.

 

A torre é de responsabilidade da empresa New Master Telecom, que oferece serviços de provedor de internet. De acordo com o supervisor local da companhia, Thiago Donizete Mendes, a estrutura está instalada no imóvel há mais ou menos 7 anos e é feita a locação do espaço.

 

“Antigamente tinha um alambrado lá, uma proteção, mas ela foi retirada ao longo do tempo. Como ela fica em uma área do lote que era cercada por muros, não tinha riscos. Mas agora, depois disso que aconteceu hoje, vamos reforçar a segurança no local.

 

Mendes explicou que os bombeiros fizeram uma notificação verbal a respeito dos riscos. “Eles nos ligaram e explicaram que precisamos fazer adequações no local. Vamos fazer isso, instalar um alambrado para que apenas os funcionários da empresa tenham acesso”, garantiu.