Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017

Logo
Logo
Sábado, 15 de Julho de 2017
POR: Equipe Valle
Rapaz morto pela própria mãe e padrasto por ser gay é enterrado sete meses após o crime
Policia

O Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo identificou na quinta-feira o corpo deItaberli Lozano, de 17 anos,morto em dezembro pela própria mãe, com a ajuda do padastro,por ser gay. A confirmação só foi possível com um exame de DNA. O jovem foi encontrado carbonizado, em janeiro, em um canavial localizado em Cravinhos, no interior de São Paulo.

 

Com a conclusão do laudo, os restos mortais, que permaneciam no IML de Ribeirão Preto aguardando o resultado do DNA, foram liberados à família para serem sepultados nesta sexta-feira – sete meses após o crime.

 

As circunstâncias do assassinato chocaram Cravinhos, uma cidade de 34 mil habitantes na região de Ribeirão Preto. A Polícia Civil e o Ministério Público acusam a mãe do rapaz, a gerente de supermercado Tatiana Ferreira Lozano Pereira, de 33 anos, de ter tramado a morte do filho por não aceitar que ele era homossexual.