Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017

Logo
Logo
Segunda-Feira, 10 de Julho de 2017
POR: Equipe Valle
Sexo oral e relações sem camisinha disseminam supergonorreia
Saúde

O sexo oral e a não utilização da camisinha em qualquer tipo de relação sexual estão ajudando a espalhar um tipo perigoso de gonorreia, informa a Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

A disseminação da chamada “supergonorreia” preocupa a entidade, que alertou sobre o difícil tratamento da doença e até mesmo a impossibilidade da cura. Tudo porque a bactéria “Neisseria gonorrhoeae” está rapidamente desenvolvendo resistência aos antibióticos já existentes.

 

Segundo análises da OMS, essa doença sexualmente transmissível (DST) resistente já foi encontrada em 77 nações e especialistas alertaram que a situação está “bastante séria”.

 

Em referência ao sexo oral, a OMS explica que a contaminação mais grave é a que ocorre na garganta. Isso porque essa área recebe uma dose menor de medicamento, por conta da sensibilidade, o que pode desenvolver resistência aos medicamentos. Com isso, a propagação da gonorreia no local pode levar ao surgimento da “supergonorreia”. A DST, no entanto, pode atingir tantos os órgãos genitais como o reto em relações sem camisinha.